sexta-feira, 21 de agosto de 2015

10 motivos para conhecer a Hungria

Mais de mil anos de história e várias ocupações por povos como os celtas, romanos, mongóis e magiares. Estes últimos marcaram definitivamente até a língua dos húngaros.
Hungria, país localizado no Leste Europeu, possui uma história riquíssima e já passou por quase tudo que um país pode passar. Invasões, altos e baixos econômicos, ideologias… tudo já aconteceu por ali. Por isso, é um dos países de história mais atraente da Europa e um terreno ótimo para turistas.
blog da AIESEC então listou 10 motivos para conhecer a Hungria.


1.       Posição estratégica
Mesmo que a Hungria não seja aquele lugar que você sempre sonhou morar, esse país pode significar uma maior facilidade para viajar a outros lugares. Considerada do Leste Europeu, mas centralizada no continente, a Hungria apresenta facilidades para se deslocar para qualquer outro país europeu. Não só de avião, mas de opções mais interessantes para viajantes que querem conhecer o lugar por terra (às vezes até mais baratas). Ônibus e trens te levam da Hungria para o resto da Europa.
2.       Economia
Se você está acostumado com São Paulo ou Rio de Janeiro (ou de uma capital brasileira), vai se surpreender. Se você é de uma cidade do interior, vai ver que a vida na Hungria não é cara como tendemos a imaginar. Um dos motivos é a moeda: apesar de ser membro da União Europeia, a Hungria não integra a Zona do Euro (conjunto de países que utiliza esta moeda). Por lá, tudo é feito à base dos florins húngaros.
3.       Termas
Um dos grandes motivos para conhecer a Hungria são as termas. O país possui um dos maiores sistemas de termas do planeta. Saunas e piscinas compõem um cenário de diversão e relaxamento para turistas e moradores. Herança da invasão romana, as termas são compostas por saunas secas (de até 80°C e com raspas de gelo massageando a pele) a vapor, piscinas com águas entre 45°C e 28°C, piscinas mornas e frias. Você visita na ordem que quiser. A garantia? Relaxamento completo.
Imperdíveis: complexo termal de Gellért, Rudas, Király e Széchenyi.
4.       Lago Balaton
Se estiver na Hungria, conheça o Lago Ballaton, o maior da Europa Central, com 592km². O comprimento do lago é de 77km. Apesar do tamanho gigantesco, suas águas são rasas (profundidade máxima é de 11 metros) e, frequentemente, ele fica completamente congelado no inverno. Uma vez que a Hungria não possui litoral, os húngaros se divertem nas praias do Balaton durante o curto verão magiar.
5.       Hollókö e Eger
As duas localidades são consideradas Patrimônios Mundiais da Humanidade pela UNESCO. Hollókö fica situada no nordeste da Hungria e foi fundada após a invasão dos tártaros no século XIII. Hollókö significa “Rocha do Corvo”, nome dado ao forte construído no local. O vilarejo possui uma única rua e é habitado por cerca de 400 moradores.
Enquanto isso, Eger é uma cidade maior (mais ou menos 60 mil habitantes). Os primeiros moradores húngaros datam do século X, no entanto, a região de Eger já era habitada desde a Idade da Pedra.
Eger sempre foi um território muito visado, tido como estratégico para a defesa da fronteira norte magiar. Por isso, nunca passou despercebida pelos invasores. Desde os mongóis, no século XIII, passando pelos turcos até os nazistas, na Segunda Guerra Mundial.
6.       Avenida Andrássy
A principal avenida de Budapeste, capital e maior cidade húngara (1,7 milhão de habitantes). Andrássy liga a Casa da Ópera de Budapeste à Praça dos Heróis, que celebra os líderes das tribos que deram origem ao que hoje é a Hungria. Ao longo da avenida, uma exposição de estilos e arquiteturas de várias épocas da história de Budapeste. É lá que está o Museu do Terror, uma construção dedicada exclusivamente às memórias dos anos de dominação nazista e soviética.
7.       Gastronomia
Famosa pelo goulash, um prato com carne de boi, farinha, cebola e especiarias, a culinária húngara é marcante pelos temperos picantes. Alho, pimenta e pimentão são ingredientes que estão entre os favoritos do povo húngaro.
Outro prato muito famoso é o Csirke Paprika, que leva carne de frango mergulhada em molho de páprica.
8.       Danúbio
O segundo maior rio da Europa atravessa 10 países para sair da Floresta Negra, na Alemanha, e chegar ao Mar Negro, no litoral romeno. Suas águas banham cidades como Linz e Viena (Áustria), Bratislava (Eslováquia), Belgrado (Sérvia) e, claro, Budapeste, que é cortada pelo rio.
Famoso por inúmeras músicas e poemas, o Danúbio é Patrimônio Mundial da UNESCO por sua importância geográfica e histórica. A bacia do rio é o lar de mais de 85 milhões de pessoas.
Os passeios de barco, ônibus-anfíbio e a possibilidade de sentar nos restaurantes e bares às margens do Danúbio e curtir a vista linda que elas proporcionam é um dos motivos para conhecer a Hungria que os intercambistas mais devem se atentar para conhecer.
O austríaco Johann Strauss escreveu a valsa Danúbio Azul em 1867 para celebrar as águas desse rio lendário. 

9.       
Teleférico
É possível conhecer Budapeste do alto da maior colina localizada na cidade: János-Hegy tem 526 metros de altura.
10.   Parlamento Húngaro
O último dos motivos para conhecer a Hungria que listamos aqui é o Parlamento Húngaro. Às margens do Danúbio em Peste (a parte plana da capital da Hungria), o palácio possui 268 metros de comprimento por 168 de largura. Um colosso em estilo neogótico considerado o maior legislativo do mundo.

Listar apenas 10 motivos para conhecer a Hungria é muito difícil e injusto com centenas de lugares, costumes e razões para visitar um país tão rico culturalmente quanto este. 
Como ir?
AIESEC oferece vagas de intercâmbio para interessados no Cidadão Global, um programa de intercâmbio para trabalho voluntário em ONGs e projetos sociais. Entre em contato com a AIESEC mais próxima de você e se inscreva.
;)