quarta-feira, 10 de junho de 2015

Novo livro da franquia Cinquenta Tons de Cinza será lançado no Brasil em setembro

“Grey”, nova obra da franquia Cinquenta Tons de Cinza, chega às livrarias brasileiras no dia 18 de setembro, na versão em português lançada pela editora Intrínseca.
Desta vez, a narrativa tem como foco principal o ponto de vista de Christian Grey da história. Através de um comunicado à imprensa, a autora E.L. James afirmou que o trabalho é uma resposta aos pedidos dos leitores por uma história contada por ele. “Este livro é dedicado aos leitores que pediram… e pediram… e pediram… e pediram por isto”, disse ela.
“Christian é um personagem complexo e os leitores são fascinados pelos desejos, motivações e pelo passado conturbado dele. Além disso, como qualquer um sabe, há sempre dois lados para cada história”, completou.
Capa_Grey_16x23.indd
A trilogia Cinquenta Tons já vendeu mais de 125 milhões de cópias em todo o mundo e gerou um filme de sucesso da Universal Pictures, estrelado por Jamie Dornan e Dakota Johnson. Cinquenta Tons Mais Escuros, o segundo longa-metragem baseado na trama literária da escritora E.L. James, tem estreia prevista para fevereiro de 2017 nos cinemas.
Em entrevista ao site The Hollywood Reporter, Donna Langley, presidente da Universal Pictures, revelou que a continuação de Cinquenta Tons de Cinza “será um suspense”. Não foram revelados maiores detalhes sobre o enredo, mas, no livro Cinquenta Tons Mais Escuros, há momentos de tensão envolvendo o protagonista Christian Grey.
O primeiro filme arrecadou mais de US$ 500 milhões (cerca de R$ 1,5 bilhão) e registrou a melhor bilheteria de estreia de um trabalho dirigido por uma mulher nos Estados Unidos, o recorde de venda de ingressos pela internet no país e o recorde de arrecadação de uma obra de recomendação etária adulta no exterior. A marca antes era pertencente a Matrix Revolutions, segundo o site da revista Variety.
Manuscrito original foi furtado da editora
“Grey” teve seu manuscrito original furtado da editora Random House na terça-feira (9). Segundo informações do site da BBC, a polícia britânica já iniciou uma investigação.
A editora teme que o responsável pelo furto disponibilize o romance na internet ou venda trechos à imprensa. No entanto, afirmou que não irá dar mais detalhes sobre o caso. “Não faremos nenhum comentário sobre a investigação policial”, disse um porta-voz da Random House à BBC.