terça-feira, 7 de abril de 2015

Todos os Homens do Presidente


O filme conta a história de dois jornalistas que investigaram o escândalo Watergate para o jornal Washington Post. Bob Woodward e Carl Bernstein descobrem uma rede de espionagem e lavagem de dinheiro, o que acaba por levar à renúncia do então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon. É baseado em fatos reais e no livro escrito pelos próprios repórteres que cobriram o caso.
Porém, tudo começou em um patamar muito pequeno na esfera política americana: uma invasão do edifício Watergate por cinco ladrões não mereceria aparecer mais do que nas páginas policiais, mas ganhou, com o tempo, uma proporção inimaginável. O que ocorreu de fato foi um caso de espionagem política que levou o presidente republicano Richard Nixon, eleito em novembro de 1972 para seu segundo mandato, a ser forçado a sair do cargo. Dirigido por Alan J. Pakula, o filme mostra cenas históricas, reforçando sua intenção de reproduzir fielmente o que foi o caso Watergate.
A detenção dos cinco invasores ocorreu alguns meses antes da reeleição de Nixon, no quartel-general eleitoral do Partido Democrata, no edifício Watergate. Eles eram ligados ao FBI e à CIA, e foram apreendidos usando câmeras e microfones. Nada disso, em princípio, interferiu na reeleição de Nixon, porém, as suspeitas de que o próprio presidente estivesse envolvido no caso aumentaram. É neste momento que vão surgir no cenário jornalístico os repórteres investigativos Robert Woodward (interpretado por Robert Redford) e Carl Bernstein (Dustin Hoffman), do Washington Post. A partir daí, todo o filme mostra o esforço e os méritos de dois profissionais em busca da verdade factual na solução de um caso extremamente obscuro.
Todos Os Homens do Presidente venceu o Oscar nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Jason Robards), Melhor Direção de Arte (George Jenkins e George Gaines), Melhor Som (Arthur Piantadosi, James E. Webb, Les Fresholtz e Dick Alexander), Melhor Roteiro Adaptado (William Goldman) e foi indicado nas categorias de Melhor Filme (Walter Coblenz), Melhor diretor (Alan J. Pakula), Melhor Atriz Coadjuvante (Jane Alexander) e Melhor Edição (Robert L. Wolfe).
41 anos após a publicação do livro, muita coisa mudou. O Washington Post foi vendido para o bilionário Jeff Bezos, dono da Amazon, por US$250 milhões. Mas a mensagem embutida na história continua valendo.
Os americanos descobriram um novo mundo de cinismo com a renúncia de Nixon, e compreenderam também a importância de uma imprensa responsável e independente. 


Assisti esse filme na faculdade, de jornalismo, e é ótimo como um exemplo de jornalismo investigativo e de apuração do caso, mostrando todas as reviravoltas que acontecem durante a produção de uma reportagem.

Gostaram?
Deixe seus comentários.

Até a próxima!