segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Comic Con Experience recebe mais de 80 mil pessoas nos quatro dias de evento

A expectativa dos organizadores em realizar o maior evento de cultura pop da América Latina se confirmou. A Comic Con Experience terminou no domingo recebendo mais de 80 mil pessoas entre os quatro dias de evento. Com esse número, a CCXP se torna a maior primeira edição de um evento realizado no Brasil. Mais de 70 expositores, 218 quadrinistas nacionais e internacionais, pré-estreias de filmes e séries, lançamentos de livros, painéis com artistas internacionais e muito conteúdo exclusivo, os visitantes conheceram um novo modelo de evento de cultura pop no país. “Nosso objetivo é mostrar para o público e para as empresas que temos condições de ter um mercado profissional de cultura pop. Sempre fomos fãs dos eventos similares de outros países e queríamos que o Brasil tivesse a sua comic con. Conseguimos. O evento foi um sucesso”, afirmou Pierre Mantovani, sócio da CCXP, durante a cerimônia de encerramento no auditório principal da CCXP. No painel de Game of Thrones com as presenças de Jason Momoa e do brasileiro Lino Facioli, que interpretam Khal Drogo e Robin Arryn na série, os atores tiveram um bate-papo descontraído. “É a primeira vez que venho ao Brasil e fiquei surpreendido com o carinho dos brasileiros. E com o trânsito. Fui almoçar no restaurante Fogo de Chão e já me sinto bem brasileiro”, brincou Momoa. Questionado sobre as maiores dificuldades para interpretar Khal Drogo, o ator destacou o idioma fictício e as cenas de sexo. “Aprender a falar dothraki foi complicado e precisava falar sempre assim. Além disso, as cenas de sexo com Khaleesi (Emilia Clarke]). Meu personagem a obrigava a ter relações com ele e eu ficava triste vendo a expressão no rosto dela, apesar de sermos grandes amigos nos bastidores. E andar a cavalo. Eu odeio cavalo e eles me odeiam”, respondeu. Perguntado por uma fã como era a receptividade do público em relação ao seu personagem, Lino Facioli revelou que alguns levam sua atuação muito a sério. “Por Robin ser um garoto mimado, muitos me olham feio na rua, não gostam. Mas isso serve também para eu buscar inspiração para o personagem. Muitas pessoas são mimadas e convivem conosco em nosso dia a dia”. Momoa lamentou o fato das pessoas confundirem ficção com a realidade. “É triste quando acontece isso. Ouvi dizer que Joffrey (Jack Gleeson) não queria mais atuar porque as pessoas o odiavam pelo seu personagem. As pessoas levam a sério demais. Ele é um garoto adorável”, completou.
Jason ainda revelou que assinou contrato para quatro filmes como o Aquaman e que gostaria que Zack Snyder dirigisse o filme solo do super-herói. O ator Richard Armitage, que viveu Thorin, Escudo-de-Carvalho, o rei-herdeiro da raça de anões de O Hobbit, esteve no evento para participar da pré-estreia do filme.
Armitage conheceu a história de O Hobbit pela primeira vez aos 7 anos, quando um professor leu o livro para ele. O ator chegou a participar de uma versão teatral da história. “Há cerca de 17 anos, quando eu soube que Peter Jackson iria fazer a trilogia de O Senhor dos Anéis, queria muito participar”, contou. “Um dos meus personagens favoritos sempre foi Legolas. Meu agente chegou a contatar os produtores, mas logo vi que não tinha chance de fazer o personagem”.
Anos depois, foi escalado para interpretar Thorin. “Thorin, na verdade, é mais parecido comigo, ele é mais sério e melancólico”, disse. “A Batalha dos Cinco Exércitos é um filme de guerra. Ele é mais sombrio, não tem tanto humor quanto nos dois primeiros. Nele, Thorin acaba se revelando, tendo que lidar com o efeito da ganância, da doença do ouro. E, no final, acontece a redenção.”
As cenas de luta e os efeitos especiais são os pontos fortes da trilogia e o ator contou como se preparou para encarar a rotina de filmagens. “Minha formação teatral me ajudou muito. Quem faz teatro sabe que é necessária muita disciplina física e concentração – afinal, acontece algo diferente a cada dia. Por isso, para mim, não foi difícil ter que lutar e atuar em frente ao cenário com fundo verde”. Armitage falou ainda que vai sentir falta de todas as aventuras da Terra-Média, idealizada por Peter Jackson: “Depois de trabalhar com este pessoal por tanto tempo, nos tornamos uma família, uma comunidade”, comentou. “Nesse último filme, fizemos uma cena em uma montanha que é considerada sagrada. Foi um momento muito intenso e emocionante. São coisas como esta que vou levar comigo”, concluiu. A CCXP já tem data confirmada para 2015: será entre de 3 a 6 de dezembro.